Quatro argumentos para se dormir cedo

1- Pedro é um lavador de cachorros. Trabalha numa petshop. Apaixonado por uma cliente – Luca, a famosa escritora de livros de auto-ajuda – passa a persegui-la pela cidade. Numa oportunidade única, ele deve levar o cãozinho Edgar até a casa da escritora. Pedro então aproveita e se infiltra no universo íntimo de Luca e passa a viver na mansão observando seu dia a dia. Seus companheiros na petshop acreditam que ele foi seqüestrado enquanto ele, escondido na casa da escritora, dorme na despensa e conta com a discreta anuência de um jardineiro surdo-mudo. Aproveitando-se da situação, o jardineiro escreve cartas pedindo um resgate ao dono da petshop. A escritora, sentindo-se observada, entre aterrorizada e seduzida, masturba-se de olhos vendados na piscina. Numa noite, Pedro entra na piscina e transa com a escritora. Aos poucos descobrimos que Pedro é o personagem de um romance que ela escreve, continua sendo o rapaz da petshop e as coisas só aconteceram na cabeça dela. Ou seria esse um sonho do surdo-mudo?


2- Edgar é um rapaz de 35 anos cuja vida é um anti-climáx. Ator decadente, não manteve seu sucesso precoce como ator de propagandas infantis e hoje, gordo e endividado, trama o seqüestro de seu primo Lucas, filho de um rico exportador de suco de laranja e as vésperas de se tornar prefeito de Laranjais. Para isso, conta com a ajuda de Pedro, um lavador de cachorro numa petshop, apaixonado por livros de auto-ajuda e tramas policiais. O esquema do sequestro é tosco e os criminosos amadores acabam roubados por ladrões de verdade e deixados a pé em meio a um canavial. No momento da fuga, um dos ladrões reconhece Edgar e canta a musiquinha que fez famoso Edgar: “Pé de vento, Pé de vento, tão resistente!”. Perdidos, os dois comparsas farsescos se desentendem e tomam rumos opostos no meio do canavial-labirinto imaginário. Cada um para um lado, o lavador de cachorros da petshop chega a uma simpática chácara, onde a sexy filha do enfermo chacreiro esbulha um punhado de espigas milho entre as coxas perfeitas, ali ele se instala e passará o resto dos dias esbugalhando milho nas coxas da rebenta do falecido chacreiro. Por seu turno, Edgar após vagar por dias perdido no canavial e é encurralado por uma queimada ilegal. Lucas, nesse meio tempo é eleito prefeito, numa mistura de fraude e populismo agroboy.

3- Pedro é um gigante hermafrodita, com tendência a se fingir de macho. Amargurado por sua dubiedade genética, resolve entrar para uma gangue que se dedica a rachas na marginal de Campinas. A medida que sua ascendência sobre o grupo de deliquentes juvenis aumenta, sua feminilidade aflora, transformando-o num travesti pseudo-kitsch-futurista. Passa a ser visto com dois poodles, um branco e outro preto e atender pela alcunha de MadameMax. É praticando suas pequenas transgressões noturnas que ele (ou ela) conhece outro Pedro, um lavador de cachorros de numa petshop, viciado em livros de auto-ajuda. Elas decidem fugir para o Guarujá e começam uma vida nova abrindo um botequinho vende-tudo, inclusive ração de baixa qualidade, no morro do Querosene. No primeiro verão, saem para tomar um banho no mangue. É lá que a maquiagem de MadameMax – agora vivendo com o nome de Helena de Tróia – começa a desbotar, poluindo toda a orla do balneário. Revoltados, os membros da fina flor da sociedade guarujaense sequestram o casal transgressor e realizam um julgamento sumário. Condenadas à pena de sodomização diária por um agente imobiliário mafioso, os Pedros cometem um duplo suicídio, jogando-se ao mar do Morro do Maluf com um carro em chamas.

4- Pedro e Isadora foram feitos um para o outro. Namorados desde a tenra idade e casados-logo-após-a-faculdade-quando-tudo-parecia-estabilizado, vivem um conto de fadas. Até Pedro encontrar Luca, uma vendedora de livros de auto-ajuda, viciada em penteados exóticos de cachorro. Além de gordinha e sem graça, Luca é a coisa mais incerta passou pela vida regrada de Pedro. No entanto, ele apaixona-se perdidamente. Certo de que o destino havia mudado sua vida, Pedro começa uma intensa correspondência com Luca, que responde com papéis de carta ornadas com imagens de bem tosados poddles e frases feitas tiradas dos piores manuais da felicidade instantânea. Pedro segue uma vida dupla, monta um apartamento para os dois na Consolação, no mesmo prédio do Sujinho. Ele compra um Ford Ka para sua gordinha e suga costeletas madrugada afora, com olhar apaixonado e os óculos embaçados pela fumaça do local, bêbado de suco de laranja sem gelo. Seu único confidente é o amigo Edgar, filho de um poderoso exportador de açucar do interior. Apaixonado desde sempre por Isadora, Edgar resolve simular seu sequestro, pagar o resgate, ganhar o reconhecimento da família e da própria Isadora, que até então o tratava apenas como um grande amigo. O plano de Edgar dá errado e Luca, na realidade um aproveitadora barata das benesses garantidas por Pedro, rouba o dinheiro do resgate, foge para o Guarujá, troca seu Ka por um EcoSport. Passou a se dedicar a corridas de aventura.  Virou uma gordinha malhada. Ainda relutante em acreditar no destino de Luca, Pedro volta a si e a sua bela Isadora. Edgar é preso e enlouquece na cadeia, onde ficou conhecido como o Rei da Cana.

3 comentários em “Quatro argumentos para se dormir cedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.