O Risco das Idéias

risco.jpg

Dia 2 de setembro próximo, meu fraterno amigo e professor Álvaro Andreucci lança seu volume da coleção Histórias da Repressão e da Resistência, organizada pela professora Maria Luiza Tucci Carneiro.
“O Risco das Idéias – Intelectuais e a Polícia Política (1930-1945)” é sua tese de mestrado e decorre da pesquisa feita pelo autor nos arquivos do DEOPS/SP, parte de um amplo trabalho realizado com os demais pesquisadores do PROIN – Projeto Integrado Arquivo do Estado/USP. Sua publicação anterior, da série Inventário Deops, sob o título “Cultura Amordaçada: Intelectuais e Músicos sob a Vigilância do Deops”, apresenta os dados da pesquisa de forma mais crua, mas é um registro instigante de hinos, panfletos, fotografias e fichas de artistas, intelectuais e mesmo operários, investigados pela ditadura Vargas.
Claro, algumas curiosidades como as fichas de Mario Lago, acusado de participar da “Campanha Antiatômica” e o pintor Korotkoff Lioubomoristy, imigrante de Constantinopla em companhia de uma “meretriz judaica Riva de tal”.
Ou ainda essa simpática cantiga anarquista (de Filhos do Povo, grafia original):

“Esses burgueses assás egoistas.; Que assim desprezam da humanidade; Serão varridos pelos anarquistas; Ao bradol viril da liberdade.; Ah! Rubro pendão; Abre o porvir; A exploração; Há de sucumbir; Nosso paiz; Não romperáz; Torpe burguez; Atraz! Atraz!”

Uma ferramenta interessante para se conhecer parte da história brasileira.

Um comentário em “O Risco das Idéias

  1. Vamos então celebrar este seu texto correndo o risco de uma idéia:

    -oposição desmantela suprimento de dinheiro para a gangue do Sr. Lula;
    -oposição desmantela a guangue do sr.Lula;
    -Oposição reune provas incrinadoras de Sr. Lula;
    -oposição faz acordo – Provas não são apresentadas, Sr. Lula desiste de segundo mandato, oposição concorda em votar contra reeleição e Sr. LUla pode concorrer em 4 anos;
    -com o acordo feito, oposição decide pelo bom mas fraco candidato Sr. Geraldo;
    -oposição substima “inteligência” e uma crescente megalomia de um acossado Sr. Lula;
    -O Governo Federal tem conhecimento do problema das prisões superlotadas da capital Paulista. Uma faísca é só o que falta.
    – PCC recebe “ajuda” planejamento estratégico e logistica de serviços secretos de outro(s) paíse(s) (Sr. Chaves? CIA?) para uma série de ataques ao principal reduto da oposição, SP pelo PCC (a versão brasileira da AlQaeda=terror), na tentativa de desmoralizar o governo de oposição estadual;
    -Governo federal usa ataques como jogada política, “copycating” a atual politica americana;
    – Governo Federal “força” um acordo de segurança único que abre caminho para uma eventual intervenção militar na capital em caso de um “grande ataque”;
    -com um candidato sem jogo de cintura e sem poder de barganha, a oposição para de atacar Sr. Lula e fica de mãos atadas para ajudar seu próprio candidato;
    -Sr. Lula pode vencer logo no primeiro turno e já fala em uma Constituinte em seu segundo mandato;
    -há 2 meses do primeiro turno, oposição ainda perplexa, não sabe o que fazer;

    Meu humilde conselho seria primeiro para que não subestimes mais o desejo pelo poder – o lado negro da força – pois lembre-se que a maior façanha do dito diabo foi nos fazer crer que ele não existe.

    Um segundo, consequência direta do primeiro seria aceitar que o jogo é outro agora. E muito mais complexo, complicado e perigoso.

    Me lembro sempre de quando olhava aquelas antigas notas de dinheiro coloridas e belas, baseadas no desenho da moeda americana, aonde se lia com letras em formato “bold” Estados Unidos do Brasil. E quando penso nelas também penso…se o Sr. Lula não é o nosso Mr. Bush, o PCC a nossa versão tupiniquin da AlQaeda…resta saber, e por deus rogo que esteja errado, se viremos a ter a nossa versão brasileira de um 11 de setembro.

    Grande Abraço
    Um mero observador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.