Minha avó faz 100 anos

Nossa cabeça euclidiana gosta de datas redondas e ângulos retos. 100, 50, 20, 75. Datas assim ganham os nomes mais pomposos, as comemorações concorridas e os selos especiais. Para elas, estão reservados os diamantes, o ouro e, aprendo agora, o Jequitibá.

Sim, porque o Jequitibá, essa árvore exuberante, de caule corpulento, ganha as alturas desenhando no chão sua acolhedora sombra, vale mais do que o ouro e os diamantes e tem o privilégio de ser um símbolo para os que chegam aos 100 anos.

Não tenho a menor idéia quem definiu isso. Alguém acordou inspirado e não foi procurar algo quimicamente mais resistente que o diamante, agraciado para festas de 75 anos. Para tanto tempo, preferiu o frondoso Jequitibá.

Um Jequitibá pode viver cem anos. Cem anos é tempo suficiente para fazer sombra, um belo balanço, raízes fortes e porque não, deixar-se levar numa pequena deliquência e escrever: “eu amo a Maria”. E a Maria no outro dia, escrever “Maria ama João”. E no mês seguinte, um risco diagonal deixou o para trás o amor de Maria e João.

Talvez ninguém ame ninguém por décadas, mas a sombra do Jequitibá virá todos os dias para comemorar seu jubileu. O jubileu nosso de cada dia. Dias pares, impares, claros ou chuvosos, não interessa. Jubileu significa algo como “trazer de volta a liberdade”.

É o dia em que a liberdade sopra novamente, alisando as folhas das árvores sem distinguir as árvores sem folhas das árvores caídas. Os restos de árvore, a matéria orgânica e o novo alimento dos Jequitibás.

Minha avó faz 100 anos e se chama Julieta.

3 comentários em “Minha avó faz 100 anos

  1. Caramba, emocionante descoberta esse Jubileu de Jequitibá. Parabens a Dna Julieta. Lembrei que vc ela tem uma bíblia assinada pelo Don Arns. Relíquias à sombra. Devem existir centenas delas. Deus abençoe os netos que tem vovó assim longeva.

  2. Passava as ferias na chácara do meu avô. Lá havia um Jequitibá, que era visitado toda tarde por um pica-pau. Meu avô, cotidianamente em seu momento de varanda, sentava para ouvir o trabalho do pássaro ao entardecer. Eu, que só conhecia o pássaro pelo desenho animado e a árvore em meio aos viadutos, tive a sorte da convivência com um Jequitibá. Jequitibá é árvore sábia, esguia, de madeira nobre, alta, das mais altas da floresta… o que o torna um marco, um guia, uma referencia! A copa do jequitibá torna-se porto seguro e é recanto de ninhos, cheios de amores e de historia pra contar… Bom que os avôs escolheram esse símbolo, para viver por muito mais de cem anos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.