Foi Dunga?

A goleada do Brasil sobre a Argentina só vale para tirar onda. Com a falta de ritmo e as cinco substituições, não dá para levar um jogo desse a sério. Mas se o técnico estreante merece um elogio, aqui vão dois. Consta que o time voltou a fazer coletivos. Treinar forte, correr 40 minutos, no campo inteiro. Parrreira aboliu essa prática. Durante a Copa o time fazia apenas uma “recreação” em meio campo. E, melhor, Dunga parece querer deixar claro que não existe dono de posição. Para cada vaga, há pelo menos dois bons jogadores disponíveis. No futebol, mais do que qualquer outro esporte coletivo, vontade e disposição podem valer mais do que talento e nome. A continuar assim, Dunga terá uma carreira promissora na seleção. A conferir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.