Ainda PNH3

Afora os blogueiros petistas, cujo foco dos artigos é (sempre) o ataque a Imprensa como instituição e aos articulistas pessoalmente, a defesa mais firme do Programa veio de José Gregori, coordenador das duas primeiras versões e de Paulo Sergio Pinheiro, um estudioso e militante do tema. E foi só. Ninguém do governo fez um defesa…

Vício Frenético

Difícil um diretor europeu passar incólume por Los Angeles. Nem o velho e bom Werner Herzog conseguiu. Em sua primeira incursão ficcional hollywodiana apoiada num elenco de estrelas, o diretor de clássicos como Nosferatu (1999) e FItzcarraldo (1982)  acabou por fazer um bom filme… americano. Vicio Frenético(2009) é, diga-se,  uma refilmagem do homônimo The Bad…

A mosca do conhecimento

Os dois principais diários paulistanos disputam na TV quem tem a campanha publicitária mais constrangedora. Sinal dos tempos. Está, literalmente, cada vez mais difícil vender jornal. Não faz muito o Estadão fazia graça com a “cara de conteúdo” e, bem antes, a Folha ganhava prêmios com o clássico reclame do Hitler. As duas campanhas hoje…

Cinema, arte e literatura na Guerra Civil Espanhola

A Guerra Civil Espanhola foi um dos conflitos mais emblemáticos do século XX. De certa maneira, a batalha intelectual da Espanha anteveu o que viria a ser o conflito ideológico da Guerra Fria. O próprio conceito de “direita” e “esquerda” tem hoje mais a ver com o que aconteceu na Espanha do que o acontecido…

A Índia é o meu Engov

Numa entrevista, o brilhante ator Luis Gustavo narra primórdios da TV, quando seu Beto Rockfeller ajudava a criar o vício brasileiro por telenovelas. O antiácido Engov era patrocinador da atração e ele receberia uma soma a cada oportunidade em que falasse Engov. Teria sido a primeira ação de merchandising de todos os tempos. Parte do…

Sapatada

A sapatada do jornalista iraquiano em W. Bush foi um dos grandes momentos do ano. Quem não adoraria jogar alguma coisa na cabeça do presidente norteamericano é ruim da cabeça ou doente do pé. Diga-se, vale para qualquer presidente. A diferença é o sujeito ter os culhões para as vias de fato. Agora, digna de…

Escolhendo palavras

A medida em que as obrigações aumentam, o brilho da oratória de Barack Obama diminui. Claro, ele deve fazer grandes discursos na posse e no congresso. Mas o que vemos nesse momento é um homem escolhendo palavras cuidadosamente, vacilante mesmo, ciente das dificuldades de sua inexperiência em cargos executivos. Fosse apenas uma questão da construção…

Em defesa de W.Bush

Como tudo que vem em ondas, uma leva de cronistas supostamente independentes provoca seus leitores com o indefensável. Bem menos interessantes do que os malabarismos retóricos de Jacques Vergès, o polêmico advogado francês conhecido por defender terroristas nos tribunais e retratado no ótimo documentário “O Advogado do Terror” de Barbet Schroeder, alguns comentadores resolveram que…