Os 299 de Termópilas

Não vi “300”, não sei se essa passagem está lá. Ryszard Kapuscinski em “Minhas viagens com Heródoto” relata a tragédia da grega aventura de Aristodemo. Sobrevivente da batalha de Termópilas, nunca poderia ser reconhecido como herói. Pelas leis de Esparta, a derrota numa batalha significa necessariamente a morte. Aristodemo passa a viver então uma vida atormentada pelo desprezo. Um novo campo de guerra, a batalha de Platéia, lhe surge como uma oportunidade de recuperar sua honra.
“Querendo morrer à vista do exército, a fim de reparar sua falta, atirou-se contra o inimigo como um louco, praticando feitos prodigiosos.” escreve Heródoto em sua “História”.
De nada vale a bravura de Aristodemo. No código de Esparta “não é possivel livrar-se da desonra.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.